Se tem uma coisa que incomoda muito quando aparece, ela atende pelo nome de cárie. Em casos mais extremos, além daquela dor insuportável, a pessoa pode precisar fazer um tratamento de canal (que a gente sabe que não é fácil), cirurgia ou até correr o risco de perder o dente.

Para evitar esse problemão e garantir uma boca sempre saudável e protegida contra as cáries, vamos entender o que é ela e como surge, os hábitos que
contribuem para o seu aparecimento e maneiras de evitá-la.

O que é a cárie

Um dia você acorda, toma café, vai escovar os dentes e sente uma dorzinha. Como você não sabe o que é, marca logo uma consulta com o dentista. Ao chegar no
consultório, o diagnóstico: cárie. Esse processo não acontece do dia para a noite, é demorado, especialmente por alguns hábitos alimentares nossos.
O resultado é a desmineralização do dente, causando o enfraquecimento e a corrosão das camadas do dente.

Como ela surge

Quando você consome carboidratos, açúcares e outros tipos de alimentos, alguns restinhos podem ficar presos entre os dentes, virando um banquete para as bactérias que já vivem por lá. Ao “se alimentarem” desses resíduos, as bactérias produzem ácidos, que, em contato com o dente, destroem sua estrutura.

Quando a pessoa apresenta sensibilidade no dente, especialmente durante a mastigação, é hora de entrar em contato com um dentista. Isso porque, ao contrário do que muita gente pensa, cárie não aparece de cima para baixo. Seu processo primeiro ocorre embaixo da superfície do dente. Somente depois que o esmalte começa a dar sinais de que algo está errado e aí é possível ver a cavidade, com a cárie. Por isso, é muito importante manter bons hábitos alimentares e de higiene bucal, porque uma vez que infeccionar a raiz do dente, as chances de um tratamento doloroso de canal aumentam consideravelmente.

Hábitos ruins

Existem alguns costumes nossos que podem contribuir para o surgimento da cárie.

  • Açúcar: o consumo exagerado de balas, refrigerantes ou quaisquer alimentos rico em açúcar se torna um prato cheio para as bactérias. Elas adoram se alimentar desses resíduos, como falamos anteriormente.
  • Guardar a escova úmida: escovou o dente e já guardou logo a escova dentro de um estojo? Esse hábito precisa muito ser revisto. Um ambiente úmido vira uma boa casa para as bactérias morarem. E se seus dentes já estiverem sensíveis para o surgimento de cáries, deixá-las em contato com uma quantidade ainda maior de bactérias não é uma boa combinação.
  • Não beber água com frequência: além manter o seu corpo hidratado e o sistema imunológico mais forte, o costume de beber água ajuda também na limpeza dos dentes, retirando alguns resíduos que possam ter ficado presos. Mas não substitui a boa e velha escovação de todo o dia.
  • Não trocar a escova no tempo certo: se você tem a sua escova por mais de três meses, é hora de descartá-la e comprar uma nova. As cerdas deformadas acabam não fazendo a limpeza necessária e aí já viu: cárie.
  • Não escovar a língua: se você não escová-la devidamente, a língua acaba espalhando as bactérias pelos dentes, porque é um local repleto desses bichinhos indesejáveis.
Como prevenir

Chegou a hora de falar dos bons hábitos que contribuem para a saúde bucal e que podem evitar as cáries:

  • Escove os dentes pelo menos três vezes ao dia, com o uso do fio dental para retirar completamente os resíduos entre os dentes.
  • Opte por uma escova de dentes macia e cremes dentais com flúor.
  • Evite alimentos ricos em açúcares e amido. Sentiu vontade de um docinho? Escolha produtos sem açúcar, como as deliciosas e refrescantes pastilhas, balas e gomas de mascar Valda.
  • Faça uma visita ao dentista duas vezes ao ano, para uma limpeza completa.
  • Beba muita água. A saliva equilibra o pH da boca e é um enxaguante natural.

Escreva um comentário